Clínica T Lisboa, Portugal

Cliente -
Local Lisboa, Portugal
Projecto 2011
Construção 2011
Área de Construção 149m2
Fotografia João Morgado - Fotografia de Arquitectura

Finalista para o Archdaily "Building of the Year" Award 2012 (Categoria Saúde)

Porque é que um espaço de saúde tem de ser um espaço frio? Embora se considere que os espaços de tratamento são centrais numa clínica dentária, este projecto vem reforçar o lado mais social e humano dos espaços de saúde, apresentando dois ambientes distintos e opostos: o espaço clínico e o espaço de estar. O primeiro é um espaço de rigor, higiene e profissionalismo, lugar cuidadamente branco que inspira confiança e serenidade no paciente. O segundo é um espaço de encontro, descontração e conforto, características psicologicamente distantes do ambiente clínico.

A premissa da dualidade espacial e funcional foi materializada através da introdução de um volume dinâmico e curvilíneo que percorre todo o espaço disponível e encerra um novo espaço interior, permitindo uma leitura: cheio/vazio, claro/escuro ou rigor/descontração. O vazio é o espaço intersticial visível do exterior que funciona como espaço de recepção e de espera da clínica, o cheio é o espaço dentro do volume que encerra todas as actividades clínicas. Para reforçar a dualidade, revestiu-se, pelo exterior, o volume de configuração orgânica com uma textura de mosaico espelhado que gera múltiplos reflexos de luz em todo o espaço de espera, num ambiente mais escurecido, inesperado e sofisticado.